• Daniela Vargas

Tendência do mercado: conheça os alimentos funcionais

A saudabilidade, juntamente com a naturalidade e a ingestão positiva de nutrientes, é cada vez mais comum no cotidiano da sociedade. Outra tendência que pode ser percebida é a evitação de elementos que são considerados nocivos à saúde, como: gordura, açúcar, sódio e calorias. Dessa forma, pessoas têm buscado alternativas mais saudáveis, isto é, alimentos ricos em nutrientes, fibras, vitaminas e proteínas. Além disso, há a procura por alimentos e bebidas com propriedades funcionais, ou seja, capazes de contribuir com o aumento da imunidade, preservação da saúde cardiovascular e digestória, etc.

As dietas com alimentos funcionais em diferentes regiões

A baixa incidência de doenças em alguns povos chamou atenção para a construção de dieta. Os esquimós, com sua alimentação baseada em peixes e produtos marinhos ricos em ômega 3 e 6, têm baixo índice de problemas cardíacos, assim como os franceses consumidores de vinho tinto. Os orientais, devido ao consumo de soja, que contém fitoestrogênios, possuem baixa incidência de câncer de mama. Nesses países, o costume de consumir frutas e verduras também resulta em uma redução do risco de doenças coronarianas e de câncer, comprovada por dados epidemiológicos.


Mas o que é um alimento funcional?

Segundo a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA), o alimento ou ingrediente que alega propriedades funcionais, além de atuar em funções nutricionais básicas, irá desencadear efeitos benéficos à saúde e deverá ser seguro para o consumo sem supervisão médica/nutricional.

As propriedades relacionadas à saúde dos alimentos funcionais podem ser provenientes de constituintes normais desses alimentos ou através da adição de ingredientes que modifiquem suas propriedades originais. No caso de frutas, verduras, legumes e cereais integrais, já estão presentes compostos como as fibras e os antioxidantes (vitamina E, C, betacaroteno). Entretanto, há produtos industrializados que são enriquecidos com algum ingrediente, tais como: leite fermentado, biscoitos vitaminados, cereais matinais ricos em fibras, leites enriquecidos com minerais ou ácido graxo ômega 3.


Saiba mais sobre seus benefícios

Os alimentos funcionais devem apresentar propriedades benéficas além das nutricionais básicas, sendo apresentados na forma de alimentos comuns. São consumidos em dietas convencionais, mas demonstram capacidade de regular funções corporais de forma a auxiliar na proteção contra doenças, como hipertensão, diabetes, câncer, osteoporose e coronariopatias. O consumo periódico destes alimentos na alimentação auxilia na prevenção de doenças e na melhora do bem-estar físico. Conheça algumas fontes alimentares e seus benefícios a seguir:


Ácidos graxos / Ômega 3: presentes em alimentos como peixes de águas frias com alto teor de gordura e óleos vegetais (linhaça). Auxiliam na prevenção de doenças cardiovasculares e na prevenção e controle de doenças autoimunes e inflamatórias.

Antocianinas: estão presentes em frutas em geral (principalmente em frutas vermelhas escuras e roxas). Previnem doenças cardiovasculares e certos tipos de câncer.


Catequinas: uva, morango, chá verde e chá preto são exemplos de alimentos com catequina. Possuem atividade antioxidante, inibem a formação de ateromas e previnem certos tipos de câncer.


Esteróis / estanóis vegetais: esses compostos estão presentes no milho, na soja, no trigo e em óleos vegetais. Ajudam na redução o risco de doenças cardiovasculares e na diminuição da absorção do colesterol.


Fibras / Prebióticos (fibras insolúveis e solúveis frutooligossacarídeos, inulina, etc.): presentes em grãos integrais, frutas e vegetais em geral. Auxiliam na melhora da saúde intestinal, na redução do risco de câncer do cólon e no controle do colesterol.


Flavonoides: uva, amora, framboesa, frutas cítricas, brócolis, repolho, chá verde e soja são boas fontes alimentares desse grupo. Possuem efeito antioxidante, ação sobre a formação de radicais livres e e podem diminuir os níveis de LDL colesterol.


Isoflavonas: soja, leguminosas, amendoim, alcaçuz, legumes e ervilhas são exemplos. Ajudam no alívio dos sintomas da menopausa, na redução do risco de doenças cardiovasculares, de oesteoporose, do risco de câncer de mama e de próstata.

Licopeno: está presente em alimentos como o tomate, a goiaba e a melância. Possui atividade antioxidante, além de ajudar na redução do risco de doenças cardiovasculares e na proteção contra o câncer, principalmente próstata.


Limonoide: frutas cítricas são sua maior fonte. Possui a característica de estimular a produção de enzimas protetoras contra o câncer e reduzir o colesterol.


Luteína e zeaxantina: folhas verdes são a maior fonte de luteína, já o pequi e o milho são de zeaxantina. Têm a função de proteção contra a degeneração macular, além dde auxiliar na manutenção de uma boa visão.


Probióticos (bifidobactérias e lactobacilos): estão presentes principalmente em leites fermentados e iogurtes. Melhoram a saúde intestinal e podem reduzir o risco de câncer do cólon.


Proteínas de soja: soja e derivados são as fontes deste composto. Ajudam na redução do risco de doenças cardiovasculares.


Resveratrol e quercetina: casca de uva, vinho tinto e maçã. Seus principais benefícios são: redução do risco de doenças cardiovasculares, inibição da formação de carcinógenos e de coágulos.


Tendência de mercado

O crescimento da adesão ao vegetarianismo e veganismo, que buscam por dietas sustentáveis, propõe uma base alimentar de leguminosas, frutas, vegetais, grãos e outros alimentos ricos em compostos bioativos. Assim, os alimentos citados têm sua funcionalidade evidenciada para esses grupos.

A proteína, por sua vez, deixou de ser apenas um simples nutriente e agora passa a ser adicionada a novos produtos devido aos seus benefícios funcionais, a fim de enriquecer produtos e deixá-los mais atraentes para o consumidor. Aliás, umas das tendências mais fortes da atualidade está em consumir alimentos fortificados. Foi isso o que mostrou a Mintel em 2018 em uma pesquisa no Brasil, onde 77% dos consumidores afirmam que consumir alimentos e bebidas com benefícios adicionais é uma boa maneira de garantir o consumo dos nutrientes necessários (fibras, proteínas, vitaminas).

Sendo assim, uma tendência evidenciada nas food trends da indústria de alimentos para 2030 é o desenvolvimento de alimentos funcionais para os consumidores. Muitas empresas já destacam em suas metas para 2030 a implementação de ingredientes funcionais em suas receitas a fim de melhorar a qualidade de seus produtos.


Gostou do nosso blog? Se inscreva em nossa Newsletter para receber quinzenalmente mais conteúdos! Saiba mais aqui.



Prestamos consultoria em engenharia de alimentos com apoio de professores e laboratórios da UFRGS

Saiba como podemos te ajudar:

Não sabe exatamente do que precisa? 

A Eali é uma empresa júnior de consultoria em engenharia de alimentos da UFRGS.

Copyright 2018 © EALI. Todos os direitos reservados.

A Empresa

Av. Bento Gonçalves, 9500
90540-000 Porto Alegre, Rio Grande do Sul

(51) 999 029 862