• Eali

Alimentos liofilizados, desidratados e suas características


Você já ouviu falar em produtos liofilizados ou desidratados? Sabe a diferença entre eles? Não? Então tire as suas dúvidas no blog da semana!


Para preservar a vida útil do alimento e suas propriedades organolépticas por mais tempo, vários métodos de conservação podem ser aplicados. Como exemplo disso, temos a pasteurização, esterilização, congelamento, secagem, desidratação, liofilização e entre outros.


Dentre os métodos citados, falaremos sobre a desidratação e a liofilização que, como os nomes já dizem, são responsáveis pela produção dos alimentos desidratados e liofilizados, respectivamente. De forma geral, esses processos consistem na retirada de água do alimento, fazendo com que tenha um baixo teor de atividade de água. Assim, é possível evitar o desenvolvimento de microrganismos.


A desidratação (ou secagem artificial) consiste na secagem do alimento através do tratamento térmico, onde retira-se a água por meio da evaporação. Ou seja, nesse processo ocorre a transferência de calor de um determinado equipamento para o produto e transferência de massa do produto para o ambiente.


Já na liofilização, a retirada da água é feita por meio da sublimação, ou seja, a água congelada passa diretamente do estado sólido para gasoso. O alimento é, primeiramente, congelado a temperaturas bem baixas. Após, ocorre a sublimação dentro de uma câmara específica, retirando, assim, até 90% da umidade presente. Uma terceira etapa também pode ser feita, a qual é chamada de dessorção, onde acontece a retirada da umidade restante e também da água ligada. Esse processamento é mais lento quando comparado com a desidratação, podendo ocorrer em até 48h.


Mas então? Quais são as diferenças entre esses tipos de alimentos?

Nos desidratados ocorre a quebra da estrutura, fazendo assim com que haja perdas nutricionais. Ocorre também uma grande alteração no aroma e sabor e, é impossível que o alimento seja reidratado e volte ao seu estado original. Já os liofilizados possuem características totalmente contrárias: não possuem qualquer tipo de alteração no aroma, no sabor e na carga nutricional e, neles é possível realizar a reidratação, se for desejável.


Então, como pode-se perceber, a liofilização proporciona que o produto final tenha as mesmas características do alimento in natura. E como a retirada de água do alimento é mais efetiva quando comparada ao processo de desidratação, conclui-se que a liofilização é o processo mais recomendado para garantir maior vida de prateleira ao alimento.

Saiba mais sobre esses processos e ainda outros através dos métodos de conservação. Ficou com alguma dúvida ou tem algum interesse em nossos projetos? Entre em contato conosco!


0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Prestamos consultoria em engenharia de alimentos com apoio de professores e laboratórios da UFRGS

Saiba como podemos te ajudar:

Não sabe exatamente do que precisa?