• Camille Machado

Empreendorismo consciente e o papel do setor alimentício

O que é?


O capitalismo consciente é uma prática utilizada na condução de empreendimentos de diversos portes. Tem como princípios básicos o propósito, orientação para stakeholders, liderança e cultura consciente, demonstrando que negócios podem ser lucrativos ao visar o bem-estar social e o meio ambiente. Essa prática permite o desenvolvimento de empresas confiáveis, com resultados constantes e mais capazes de lidar com os desafios do mercado. O conceito de capitalismo consciente ganhou força em meados de 2009 a partir da criação da Conscious Capitalism, organização sem fins lucrativos dedicada a cultivar a teoria e a prática do movimento, o qual ainda está em construção.


Exemplos de vertentes que seguem o empreendedorismo consciente na área de alimentos


O consumo vegetariano e vegano está se difundindo cada vez mais ao redor do globo. Neste contexto, surge a necessidade dos serviços de alimentação e indústrias alimentícias se adaptarem a esse estilo de consumidor. Opções vegetarianas e veganas tornam-se recorrentes em cardápios, da mesma forma que marcas e empresas passaram a desenvolver alimentos alternativos visando esse nicho de mercado. As carnes vegetais estão fazendo sucesso ao facilitar a transição para o vegetarianismo e veganismo. Outras empresas apostam no uso de ingredientes naturais e frescos na produção de pratos complexos que instigam o paladar do consumidor e proporcionam experiências diferentes das quais estamos acostumados. O desejo por trás de empreendimentos que atendem esse segmento é quebrar o paradigma que refeições saudáveis e nutritivas não possam ser deliciosas e conscientes.

Gradativamente empreendedores investem no segmento de produtos orgânicos. De acordo com a legislação brasileira, considera-se “produto orgânico, seja ele in natura ou processado, aquele é aquele obtido em um sistema orgânico de produção agropecuária ou oriundo de processo extrativista sustentável e não prejudicial ao ecossistema local”. De forma geral, produtos orgânicos são livres de agrotóxicos, o que é benéfico à saúde de trabalhadores e consumidores, uma vez que evita exposição à químicos, os quais muitas vezes são responsáveis por alergias, além de outras anomalias. Valorização da produção local, sabor e textura marcantes e proteção ao meio ambiente são os principais fatores que conquistam maiores adeptos ao consumo desses alimentos, que estão amplamente associados ao empreendorismo consciente.



Perspectivas no setor alimentício


O antigo modelo de negócios não se encaixa nas tendências futuras. O trabalho vem sendo ressignificado de forma que o lucro se une ao impacto social e gera resultados mais significativos para os clientes e colaboradores envolvidos. A inovação está constantemente presente no setor alimentício, transformando estratégias que incorporam as necessidades do planeta e dos consumidores em ideias revolucionárias e bem executadas.



Quer saber mais sobre todas novidades do mercado de alimento? Se inscreva em nossa Newsletter para receber quinzenalmente mais conteúdos! Saiba mais aqui.

0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Prestamos consultoria em engenharia de alimentos com apoio de professores e laboratórios da UFRGS

Saiba como podemos te ajudar:

Não sabe exatamente do que precisa?